Projeto Cheiro Verde implanta composteira modelo no CA em parceria com a PMAU

12/12/2018 13:37

Projeto Cheiro Verde implanta composteira modelo no CA em parceria com a PMAU.

 

A sanção da Lei nº 12.305/2010, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos, trouxe diversas diretrizes, objetivos e responsabilidades para toda a sociedade brasileira. No que tange aos resíduos orgânicos, implantar sistemas de compostagem e articular com os agentes econômicos e sociais formas de utilização do composto produzido são claramente estabelecidas como obrigações dos titulares dos serviços públicos de limpeza urbana e manejo de resíduos, por meio do inciso V do artigo 36.

Segundo a Comcap, das 183 mil toneladas recolhidas por ano pela coleta convencional da Comcap, 65 mil toneladas são resíduos orgânicos que, separados na fonte geradora, poderiam ser desviadas do aterro sanitário. Esse volume equivale a 10 mil caminhões compactadores carregados.

Ao custo de R$ 148,27 para transportar e aterrar cada tonelada desse resíduo, se o usuário do sistema de coleta adotasse as práticas de separar e reciclar o orgânico, a economia para o município poderia ser de até R$ 9,5 milhões ao ano, sem contar ganhos ambientais e sociais. Por mês, a recuperação de orgânicos representaria 5,3 mil toneladas de resíduos desviados do aterro sanitário, o que corresponde a 830 caminhões compactadores da Comcap.

 

Diante destes dados e na intenção de fazer valer o que determina a Lei nº 12.305/2010 que já vigora desde 2010, a equipe do Projeto Cheiro Verde buscou assessoria para implantar no colégio nosso próprio sistema de compostagem.

 

Para isso, estabelecemos parceria com o Programa Municipal de Agricultura Urbana – PMAU –  de Florianópolis, que engloba a Secretaria de Saúde; Fundação Municipal do Meio Ambiente – FLORAM; Superintendência de Pesca e Agricultura; Autarquia de Melhoramentos da Capital – COMCAP, a qual já é parceira desde a criação do projeto Cheiro Verde, para que juntos pudéssemos pensar em uma forma didática de lidar com os resíduos orgânicos.

 

Assim, usando o mesmo processo do método UFSC de compostagem termofílica em leiras, por orientação dos parceiros ao invés do formato em leiras, utilizamos tubos de concreto com furos em todo seu perímetro como base para a composteira.

Esse formato foi pensado para dar maior comodidade no funcionamento e manejo da compostagem, pois pelo fato de ser uma composteira mais fechada torna a mesma com menor possibilidade de vetores e odores, caso ocorra erros no manejo de compostagem.

Uma composteira neste modelo pode ser implantada em pequenos espaços, escolas, condomínios, etc, pois além de possibilitar a reciclagem de resíduos orgânicos transformando-o em composto para hortas, jardins, pomares, pode se tornar uma obra de arte, como foi o caso de nossa escola, onde as crianças do Projeto sob a orientação do prof Benjamin de Artes, estão finalizando a decoração.

Agora convidamos toda a comunidade escolar para abraçar esta causa, separando os resíduos orgânicos e colocando nos espaços adequados para que possamos transformar todo esse material em adubo para nosso quintal. Enfim, que possamos servirmos de modelo para que quem visite nossa escola possa implantar esse modelo de compostagem nos pequenos espaços que tiverem.

 

Abaixo seguem algumas fotos: