Revista Sobre Tudo lança novo número

23/08/2017 14:01
A revista Sobre Tudo é um periódico que completa 17 anos de história. Surgiu do desejo de dar visibilidade às produções textuais de alunos e alunas do Colégio de Aplicação da UFSC, no ano de 2000. O nome escolhido para o periódico evidencia uma brincadeira com a multiplicidade de sentidos das palavras “sobretudo” e “sobretudo” e, juntamente com o slogan “Muita ideia para pouca gaveta”, foi escolhido à época em meio a disputadas votações.
Nos cinco primeiros volumes, publicados respectivamente nos anos de 2000; 2002; 2003; 2004 e 2006, sob a coordenação das professoras Tânia Mara Cassel Trott, Yvelise Ouriques Torquato e, posteriormente, Nara Caetano Rodrigues, a revista mobilizava a escola inteira: professores dos três segmentos participavam da seleção dos textos, que eram entregues pelos alunos em folhas de caderno escritas à mão para serem digitados pela equipe de editores, numa época em que eram escassos os computadores dentro e fora da escola.

Nova edição da Sobre Tudo surge em 2009, sob a responsabilidade do professor João Nilson Pereira de Alencar, que coordena um processo reestruturação, referendado pelo nosso Colegiado. Entre as principais mudanças estava a natureza do periódico, que passava a ter caráter científico, acolhendo principalmente artigos de docentes avaliados por pares e textos literários e ilustrações de alunos. Na mesma direção, foi publicado em 2011 o sétimo volume, uma edição especial comemorativa dos cinquenta anos do Colégio de Aplicação, lançada durante o VII SICEA – Seminário de Institutos, Colégios e Escolas de Aplicação das Universidades Brasileiras, que naquele ano era sediado na UFSC.
O oitavo volume, editado em 2012 pelo professor Romeu Bezerra, não pôde ser publicado na ocasião, permanecendo “no prelo” até o presente ano. Dele faziam parte artigos científicos de docentes, além de uma nova seção recém-criada: textos de iniciação científica na escola, assinados por estudantes e seus orientadores, resultantes de pesquisas do PIBIC-JR CNPq/FAPESC, Pés na Estrada do Conhecimento e PIBIC-EM CNPq.
Em meados de 2016, as integrantes da presente Equipe Editorial assumiram a revista, retomando as publicações. O compromisso firmado foi no sentido de reafirmar a revista Sobre Tudo como espaço democrático para professores e estudantes, com a publicação de textos de natureza científica, artística e literária, voltados às áreas Multidisciplinar e de Ensino. O conselho consultivo foi redefinido e hoje inclui professores de dentro da instituição, de outros colégio e escolas de aplicação, além de profissionais de renome que atuam em universidades brasileiras e internacionais. A periodicidade passa a ser semestral, com veiculação on-line, a fim de ampliar o alcance do público e o diálogo com autores de outras instituições. Ou seja, intercâmbio entre autores, avaliadores e leitores.
O primeiro desafio dessa equipe foi reunir todo o material e escanear os exemplares já publicados, agora disponibilizados de modo permanente na aba “Anteriores” na página da internet criada para hospedar a revista, já dentro da plataforma SEER, da CAPES. Um processo lento, já que os volumes anteriores tiveram suas páginas digitalizadas uma a uma para assegurar maior legibilidade, com edição de metadados e inserção dos arquivos. O segundo, foi disponibilizar o volume já editado pelo professor Romeu, agora publicado e disponibilizado de modo on-line. O terceiro e maior desafio não se encerra com essa edição, antes começa com ela. Ou recomeça. É o desafio de manter acesa a curiosidade, a vontade de pesquisar, de aprender, de se expressar, de ler e de ser lido. De produzir conhecimento e de compartilhá-lo.
E é nesse contexto que citamos Manoel de Barros, poeta de olhar manso e fala vagarosa, morador lá dos confins de Mato Grosso do Sul. São dele os versos dos quais agora nos apropriamos, pois têm tudo a ver com o espírito da nossa revista:
 
A mãe reparou que o menino
gostava mais do vazio, do que do cheio.
Falava que vazios são maiores e até infinitos.
 
Que nossos futuros leitores e autores, sejam eles ou elas estudantes ou docentes, do Colégio de Aplicação ou de outras escolas do Brasil, descubram constantemente novas inquietações diante do vazio. Que ao invés de se sentirem cheios, tanto faz se de si ou de um conhecimento há muito cristalizado, tomem gosto pela dúvida, pela ausência de respostas prontas. Porque sem perguntas não há produção de conhecimento. E sem vazios não há espaço para novos infinitos. 
Uma boa leitura a todos e a todas: http://ojs.sites.ufsc.br/index.php/sobretudo
 
Fernanda Müller
Gláucia Dias da Costa
Lara Duarte Souto Maior
 
Equipe Editorial
PS: Exemplares anteriores da revista serão distribuídos nos escaninhos dos docentes e divulgados entre pais e alunos na feira de leitura prevista para outubro deste ano, a fim de que possam conhecer melhor a revista da nossa escola.